29 de jul de 2010

AO ESCOLHER UM PERSONAGEM, PERCEBEU QUE, ENTRE TODOS, QUERIA SER O PETER PAN

peter_pan

Tentamos ir ao cinema ontem. Não tinha nada de bom ou que já não tivéssemos visto (somos viciados em filme aqui – e não paramos por aí). Foi quando consegui convencer a todos a ver “Eclipse”. Eu sei. Eu sei. Agora deve haver milhares de pessoas se escangalhando de rir por causa disso. Eu mesma sinto vergonha. Quase ninguém sabe. Ainda bem que quase ninguém sabe quem escreve esse blog (rs, com as bochechas vermelhas).

Ao chegar na bilheteria para escolher os lugares, só havia a primeira fileira. Cinema cheio de adolescentes desesperadas por uma mordida do vampiro. Desistimos. Além da entrada, teríamos que pagar a fisioterapia do dia seguinte. Porém, animados que estávamos, resolvemos passar na locadora. Terminamos na casa do Grande Oráculo, com “Wolf Creek”, “Entre Irmãos” e “Mente que mente”. Bons filmes. “Mentes feitas” de vinho e barrigas cheias de pizza. Terminamos bem.

Hoje, estamos animados. Estamos na dúvida quanto à programação. Lapa, champanheria ou escritório? Sei lá o quê. Mas juntos, felizes e bêbados.

Abs,

Eu.

28 de jul de 2010

QUANDO AS MÁQUINAS QUEIMAM E OS MUNDOS DESLIGAM: É HORA DE PAUSA

soh-pra-relaxar_1

Não tinha muito que dizer ontem. Totalmente alucinada por causa de uma TPM maldita. Estava com um péssimo humor. Meus amigos de escritório, escrotinhos como são, resolveram me gastar. Pedi para ir embora. Eles não deixaram. Precisavam de alguém para diversão. Mal humorada por natureza. Filha de mãe brava. Gritei. Tive vontade de pegar minhas coisas e ir embora. Não pude. Afinal, não nasci em berço de ouro. Final de mês: dia de aluguel.

Porém, como as “forças das mulheres do além” são mais fortes, o estabilizador queimou. Fazia um barulho infernal. Todos ficaram irritados. Tivemos que desligar as máquinas. Nada de computador e telefone. Grande Oráculo, que trouxe uma cadeira de balanço nova para o escritório (adoramos cadeira de balanço por aqui!), largou a cadeira, e eu saí correndo. Hora de pausa. Com isso, hora de relaxar. No final, terminamos bêbados. Eu, sentada na cadeira. Todos eles, sem máquinas. E todos nós, contentes. Bar Bukowski: aqui curtimos momentos de pausa.

Por hoje é isso. Hoje é dia de cinema. Amanhã fazemos as críticas.

Abs,

Miss J.

26 de jul de 2010

O QUE IMPORTA QUEM SOMOS? UÍSQUE AINDA TERIA SABOR DE UÍSQUE, MESMO QUE SE CHAMASSE VODCA.

anonimos

Amigos e amigas,

Final de semana lotado. Com a festa “Procura-se um amigo”, muitos encontros e novos amigos conquistados. Tiraram-me do meu posto oficial na noite do Bukowski e fiquei na cozinha. Não vi quase nada. Não encontrei quase ninguém. Então, vou ficar devendo algumas fofocas.

Quando estava na cozinha, Mister W chegou com uma cara daquelas. Contou que havia pessoas querendo saber quem eram os personagens deste blog. Aos fofoqueiros e curiosos de plantão: nossas identidades serão preservadas. Não haveria personagens se não houvesse histórias.

Abs,

Miss J e Cia.

22 de jul de 2010

E A RESSACA ERA GRANDE. DANÇARAM SAMBA O QUE NÃO É DE COSTUME E ACORDARAM COM A CABEÇA SAMBANDO.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Hoje as histórias são muitas. Ontem foi uma tremenda loucura. Eu desisti de ir a “champanheria”. De havaianas seria difícil, mas como estávamos todos juntos, a tentação era enorme. Acabei indo. Fomos até a porta da “champanheria” e já era muito tarde. Muita fila. Casa cheia. Dois garçons para servir todo mundo. Abrir garrafa. Servir as taças. Desistimos. Voltaremos outro dia mais cedo.

Grande Oráculo que estava animado, o que não é de costume, sugeriu Lapa. Todos aceitaram e lá fomos nós. Primeiro botequim para calibrar o álcool. Foram muitas as bebidas: muita cerveja, dez garrafas de vinho, steinhaeger, uísque e outras “cositas” mais. A conta passava dos 3 dígitos. Éramos o grupo dos dez. Os personagens: Miss J, Miss D, Baronesa, Miss Desastre, G.O., Mister W, Mister M, Mister Gago, Mister Lie e Mister Lerdinho. Bebemos muito, menos Mister Lerdinho que tinha que nos levar de volta sãos e salvos.

Segundo e o mais inacreditável de todos os fatos dessa história, terminamos num samba na Lapa. Dez roqueiros bêbados achados no samba. Inacreditável o que é ser cliente. Tentamos convencer o gerente a diminuir a entrada. Não conseguimos nada. No máximo a possibilidade de passar no crédito. Aceitamos. Todo bêbado é rico. Dançamos por longas horas. Bebemos, falamos, choramos e sorrimos. Foi bom. Nada como amigos. Terminou cedo. Já estávamos a caminho de casa por volta de 2h. Afinal, começamos às 17h.

Hoje acordei daquele jeito. Dor de cabeça. Sem fome. Estômago e fígado aos avessos. Destruída. Corri para o Bukowski. Agora estamos vivendo uma campanha “anti-atraso”. Ao chegar convenci todos de que deveríamos comer. Cardápio: japonês. Comida leve. Sem muita gordura. Perfeito para nosso estado. Porém, na hora que chegou e eu fui atacar o temaki de Filadélfia. Aaaa.... Uma barata. Nojento. Repugnante. Passou a fome. Voltou a ressaca. Agora é esperar o arroz e feijão de sempre, mas que saudades da mamãe.

Abs,

Eu.

21 de jul de 2010

SEM MUITO QUE DIZER, COSTUROU A CALÇA E PINTOU O PÉ PARA ESCONDER AS HAVAIANAS!

11972667785MKC1a

Algumas novidades bukowskianas: a Baronesa do Bukowski, grande atriz e uma das ex-chefes do "marketing", vai aparecer na novela das 7 hoje. Ela trabalhou aqui por 2 anos e foi uma das melhores chefes que já tive (à exceção do atual). Merda para você, R.

Além disso, hoje estamos chiques. Programação: “champanheria”. Estamos à base de vinho e champanhe. Para isso, tivemos que adaptar nossas vestes. Grande Oráculo costurou a calça, e eu deveria pendurar as havaianas, mas fazer o quê? Vamos tentar burlar a lei. É de havaianas mesmo.

É isso pessoal, sem grandes novidades. Festa do final de semana decidida. O Bar Bukowski, atrasado como todo bom amigo, convida-o para: "Precisa-se de um amigo". “Free Hugs” e amigo no local.

Abs,
Eu.

20 de jul de 2010

SE AMIGO É COISA PARA SE GUARDAR, ONDE ESTÁ GUARDADO O SEU?

sloth-goonies

Acordo de manhã hoje com uma baita ressaca da festa de ontem e recebo a seguinte mensagem de um número ainda desconhecido pelo meu telefone: “Amigo é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito”. Não agüentei a ansiedade, achei que era o Milton Nascimento, e mandei outra mensagem perguntando quem era. Era alguém que eu não conhecia. Uma tal de Márcia, que talvez desesperada por um amigo mandou a mensagem para qualquer desconhecido.

Cheguei no Bukowski atrasada. Levei uma bronca silenciosa do Mister W, que não disse nada quando passou por mim e deixou os melhores votos do dia: “Vim. Não vi. Não venci”. – Nem eu. Afinal, após passar mal do Humaitá até aqui, tive que parar no meio do caminho. Ressaca grande.

Cheguei aqui e mais uma vez sozinha. Miss D com a avó no hospital; Mister W ainda de férias com a namorada ou namorado suspeitos; Grande Oráculo de molho, com uma ressaca maior ainda. Por fim: “All by myself”. Até que por volta das 16h, quando achei que poderia dar aquela relaxada, chegaram todos. Os ânimos não estavam receptivos e, com isso, os meninos precisavam libertar as emoções com reunião. Fui expulsa do escritório e devorada por um bando de mosquitos. Com a “super” alergia, adquirida como defeito de nascença, estou igual ao Slot do Goonies. Polaramine nela.

Por fim, é isso! Ainda estamos resolvendo a festa de sexta. E para não perder a oportunidade, um feliz Dia do Amigo a todos os nossos amigos e a vocês que têm me agüentado por tantas tardes. Uma noite de sonhos, bebidas e sexo.

Abs,

Miss J.

19 de jul de 2010

DEPOIS DE MATAR A SAUDADE, ABRIU UMA GARRAFA DE CHANDON. ERA DIA DE ANIVERSÁRIO.

rock-n-roll

Amigos e amigas espalhados por aí,

Muitas novidades do final de semana. Sexta e sábado, mesmo com chuva, casa super cheia. Obrigado mais uma vez aos freqüentadores. Bar Bukowski abalando as estruturas da noite do Rio de Janeiro.

Sexta, recebemos uma visita ilustre no Bar Bukowski, Miss N., antiga gerente de “marketing" e minha melhor amiga de todos os tempos, responsável pela minha vinda para o Bar Bukowski, comemorou seu aniversário aqui. Não nos falávamos há 1 ano, desde quando saiu daqui e nós tivemos uma briga terrível. Sentia muita falta dela. Na verdade, todos nós sentimos. N., nós te amamos muito.

Sábado, na porta, foi uma loucura. Além da insanidade da fila, o Grande Oráculo, resolveu fazer os outros virarem Black Label na porta. Pessoas felizes e semi-embriagadas. A noite foi ótima. Tudo em perfeita harmonia.

E hoje... Ah... Hoje. Estou feliz da vida. Comemorando dois anos de Bar Bukowski, a comemoração está apenas começando. Já ganhei língua de gato e colônia inglesa do Mister W. (mais uma constatação da homossexualidade do rapaz). E mais tarde ganharei uma festa de comemoração. Cobertura em Ipanema com tudo liberado. Desculpe por não convidar a todos, pois não haveria espaço. Enfim, é isso. Até amanhã com mais histórias de ressaca.

Abs,

Eu.

15 de jul de 2010

UMA ESTRELA APELIDADA CANIBAL!

12808450
Ontem não havia muito que escrever. Cansada e cheia de ressaca, deixei meus leitores na mão. Mas não se preocupem, vou contar as histórias dos dois dias. Afinal, no Facebook muitos se mostraram interessados. Fofoqueiros (risos)!!!

Na terça, Miss D e eu, recebemos uma graninha. Animadas com o fato e forçada a cumprir a promessa que tinha feito há meses a ela, achei que era dia de cumpri-la. Destino: "Tá na rua", Lapa.

Chegamos 1h. Paramos no balcão e demos de cara com Heineken, Nortenha, Patrícia, Sol Mexicana, entre outras. Começamos na velha Heineken de 600 ml  e depois circulamos pelas outras tantas opções. Até que avistamos a Estrella Galícia. Cerveja produzida na Galícia, comunidade autônoma espanhola, situada no limite entre Espanha e Portugal. Boa cerveja, uma salsa maravilhosa e um monte de gente esquisita.

Resultado disso tudo: uma ressaca infernal na quarta feira. Arranquem a cabeça. A minha pelo menos. Estava com uma puta dor de cabeça. Miss D e Mister W não vieram. Fiquei sozinha com o Grande Oráculo e seufiel escudeiro, Mister M. Resultado de tudo isso: mais dor de cabeça. Terminei num bar em Copacabana com umas "coxinhas apertadas" com molho de alho e geléia de pimenta sensacional. Além da tônica para cuidar da ressaca.

Hoje não temos grandes novidades. Mister W está afastado um tempo. Lua de mel com um parceiro ou parceira misteriosa. Estamos felizes por ele. Além disso, recebemos mais uma carta de amor: Érica, o Rafael que conheceu você dia 3 de julho está à sua procura. O garoto parece ser gente boa. Mandou um email super fofo. Estamos na torcida – Bar Bukowski, unindo os corações solitários.

Abs,
Miss J.

13 de jul de 2010

APESAR DOS PESARES, E COM PESARES, O SHOW TEM QUE CONTINUAR.

menininha_vomitando_esperanca

Amigos e amigas do Bukowski,

Espero que estejam todos bem. Ontem não aconteceu muita coisa e o Velox me deixou imobilizada, por isso não teve a postagem. Além de questões nossas pessoais que tinham que ser resolvidas. Apesar dos pesares, e com pesares, o show deve continuar. Ontem foi decidida a festa de sexta. Em homenagem a Aldous Huxley, escritor que inspirou o nome da banda The Doors, estaremos fazendo a festa “As portas da percepção”.

Confesso que Aldous Huxley era totalmente desconhecido para mim. Escritor inglês e grande narrador das descobertas e experiências com a mescalina em 1954, influenciou em muito a cultura hippie. Com as pesquisas para o Facebook, encontrei a seguinte frase: ‎"E se este mundo for o inferno de outro planeta?". A lógica da frase parecia-me muito verdadeira. E apesar de não acreditar em inferno e céu, ao lembrar das tantas injustiças e dores que vemos acontecer ao nosso redor, pensei: não estaria esse cara certo?

Outra coisa interessante do dia foi o pedido de ajuda que recebemos. Assim que cheguei, abri o e-mail do bar e lá estava: “Sou de SP e conheci o bar neste sábado...simplesmente adorei. Conheci um espanhol ‘gracinha’, mas como estava bêbada nem me lembrei de anotar seu contato. Quem pode me ajudar?”

Eu não conheço o espanhol, mas se alguém conhece, entre em contato. Não podemos impedir o amor!

Abs,

Eu.

8 de jul de 2010

QUANDO CHEGAM 17H, MOMENTO DE BOA MÚSICA: É HORA SAGRADA.

HORA-D~2

Arlete não pode perder tempo... Mister W ontem foi à Cobal com um amigo. Será que se inicia mais uma história de amor no Bar Bukowski? Antes de ir embora, disse que não podia beber por causa do antietanol (remédio que controla a vontade de álcool devido às reações adversas). Acabou no chopp com steinhäger.

Não temos grandes notícias, mas grandes surpresas para o final de semana. Coisas novas na casa. Seguindo essa nova fase que estamos vivendo. Em breve, cardápio novo de comida feito por mim. Entre outras mudanças, tudo para que as pessoas se sintam cada vez mais em casa. A casa tem enchido. Resposta de muito trabalho. Agradecemos pessoal. Por isso, temos sugerido cada vez mais que as pessoas cheguem cedo para não ter problema na fila. Anotem a dica.

Aqui no escritório, temos uma coisa chamada “hora sagrada”. Devido às muitas atribuições. Cuidar das mídias, responder e-mails, criar loucuras, pesquisar, pesquisar... Eu ainda tomo conta do Grande Oráculo. Talvez a mais difícil de todas as tarefas. Com isso, ficou decretado que das 17h às 18h é o momento de lembrar do dia e escrever a postagem. Eu sou jornalista de formação. Acostumada a escrever em redações lotadas de gente. Isso é comum, mas aqui é uma loucura. Gente falando alto; Grande Oráculo como um grande menino mimado, querendo coisas; Mister W escrevendo seus emails de amor, dando gritinhos de alegria; as risadas de Miss D. Nesse momento está acontecendo uma faxina na sala ao lado. É possível ouvir gritos, choro por causa de um dedo rasgado e Mister M chegando todo animado.

Por fim, é isso! Sempre bom uma hora sagrada, mas ela poderia ser longe desses malucos que já estão pretendendo ir para um botequim ver gente. Acho que estou fora! Tem a síndrome! Não se esqueçam que amanhã tem Orgia Musical no Bukowski.

Abs,

Eu.

7 de jul de 2010

VACINE-SE CONTRA O MAU HUMOR E TOME UMA OVERDOSE DE ALEGRIA!

h

Quarta é o pior dia do Bukowski. Muita gente se pergunta e nos pergunta: o que fazemos aqui à tarde. Além de nos divertirmos muito com isqueiros que dão choque e tardes à base de uísque e rock ‘n roll, também ralamos muito. Quarta é dia de mala direta. É dia que às vezes Mister B atrasa a entrega da mala e nós ficamos com a mula brava por aqui. Tranqüilo. Nada como Alemanha x Espanha para melhorar o clima. Ficamos tristes. Estávamos a favor da Alemanha. Vodu na Espanha agora! Espanhóis pagam dobrado esta semana.

Miss D.: -Ah, Mr. W, o Forlain é lindo! (Mister W tem tendências meio homossexuais.)

Hoje foi um dia de alegria. Logo cedo, a Miss D., produtora do Bukowski, chegou com o filho. Uma delícia. Escritório em clima de festa, com direito a hambúrguer e batata frita. O Grande Oráculo do Bukowski estava extremamente feliz. Com ele feliz, nós todos ficamos felizes. Com isso, hoje tem festa!!! Garrafas de vinho encomendadas e Cássia Eller no fim da tarde.

Se estaremos vivos amanhã, só o futuro sabe. E como não existe nenhuma boa cartomante aqui, ninguém sabe. Então até amanhã pessoal, ou não.

Abs,

Nós.

6 de jul de 2010

AO ENCONTRAR UM ERRO, PARE TUDO! É HORA DE REAVALIAR!

pode_parar
Há muito não escrevo algo que faz parte real do tema desse blog. Eu sei. Eu sei. Eu sei. Cometi um dos grandes erros da escrita que relata. Deixei de relatar. Então é hora de recomeçar. Com isso, primeiro falarei um pouco de mim. Meu nome é Miss J. Tenho 30 anos e trabalho no Bukowski há 2 anos. Sou jornalista e estudante de gastronomia. Encontrei na escrita e na cozinha minha fuga do mundo real. Não saberia dizer se prefiro as palavras ou a comida. Para mim, são duas das coisas que me fazem dançar, além de música e filme, que não deveriam nem ser mencionados. (P.S.: o Bar Bukowski adverte: leia, escute e veja coisas boas).

Sempre gostei de beber. Aos 12 anos, vivi meu primeiro grande porre; aos 15, fumei meu primeiro baseado, e aos 19 veio todo o resto. Sou ariana com ascendente em Touro e lua em Câncer. Brava e mal humorada por natureza. Impaciente e ansiosa – características amenizadas por um bom Rivotril. Meio solitária e impaciente com gente. Porém, eu adoro o ser humano.

Leitores e leitoras perdidos por aí, eu me comprometo a partir de agora a seguir o que viemos fazer aqui. Então vamos a uma boa história: ontem tivemos nossa festinha semanal. Aqui, quando um de nós está triste, colocamos uma boa música, abrimos uma boa garrafa de vinho ou uísque e conversamos até tarde. Ontem foi assim. Hoje, a dúvida é se o Mister W. compra uma bicicleta ou come uma puta de luxo. Eu estou a caminho de casa. Minha síndrome de Holloway-weiss não permite dois dias de festa. Até amanhã pessoal.

Abs,
Eu.