24 de jan de 2011

TUDO CULPA DO BENDITO “LONDON DRY GIN”


Esse final de semana foi marcado por surpresas. Além, de encontrar muitas pessoas que não havia há tempos, pude também constatar que as pessoas lêem essas e outras baboseiras que escrevo. Então, esse blog estava meio abandonado por conta da promoção, ganhou novamente vida e gás. Até porque agora, não sou apenas eu escrevendo no mundo de Bukowski, mas Miss Angel também. Nossa mais nova aquisição, além de grego, fala finlandês e latim. Miss Dentucinha saiu. Apaixonou-se por um guitarrista maluco e agora viaja pelo Brasil em uma Kombi pintada com a foto do bonitão (pelo menos aos olhos dela). Sentimos saudades. Volta e meia recebemos postais de suas novas aventuras. Continue-os mandando e saiba que o velho Bukowski sempre estará aqui.

Sábado, estava me sentindo meio solitária, ou era ressaca mesmo, e resolvi mudar o estilo. Ao invés da cerveja do dia-a-dia, parti para algo mais amargo (literalmente falando) e resolvi que seria dia de gin. Achando-me esperta, pedi uma dose de gin que era dupla e uma tônica que faria duas gin tônicas. Todo mundo me viu beber. Gerente, caixa, barmen, recepcionistas, seguranças... Mas eles se esqueceram de dizer que o tal do gin ia além das possibilidades financeiras da noite. Só fui saber dessa informação depois da terceira dose. O que me deixou bêbada e sem diária. Bendito gin!

Mais valeu a pena. Terminei bêbada. Feliz. Sem dinheiro. E agarrada ao gin.

Abraços,

Miss J.

6 de jan de 2011

ALÔ, ALÔ, TEM ALGUÉM AÍ?


Amigos e amigas,


O ano mal começou e estamos todos ralando muito por aqui. Dia trinta e dia 1º abrimos. Ficou bem legal. Com muita gente bacana e divertida. O que me permiti dizer que entre as muitas noites maravilhosas que passei no Bukowski, a do dia 30, foi a melhor. Conheci muita gente que só conhecia online. Gente vinda de todos os cantos do Brasil e do mundo.

É muito interessante essa relação de rede. Conhecemos e muitas vezes criamos até intimidade com pessoas que nunca vimos ao vivo. Para ser sincera, não estava muito acostumada com isso. Ariana, de gênio expansivo, sempre gostei de gente. Aquele lance de olho no olho. De ver a verdade através dos sentidos. Não sei se consigo captar tudo isso via web. Ou então, se no campo da imaginação, acabo encontrando uma brecha que me permite idealizar pessoas. Por exemplo, havia um rapaz que sempre respondia meus comentários, textos e “lixos virtuais”. Quando eu via a foto pensava que estava falando com um garoto. Nesse sábado, entre as tantas pessoas que passam por aqui, acabei conhecendo e batendo papo justamente com ele. Para minha surpresa, ele não era um garoto. Por volta de seus vinte e oito anos, era um cara gente boa e engraçado. Não pude contar que eu era eu. Mesmo com toda a insistência quando disse que trabalhava na casa. Afinal, quando deixa de existir a magia por trás do imaginário, perde-se tudo. Foi quando me dei conta que não apenas eu, como todos, criamos nossos personagens. É um grande mundo de faz de conta virtual.

De resto, tudo anda na mesma. Com várias mudanças acontecendo na casa, temos “ralado pra burro”. O que nos fez cancelar as rotinas de bar e “cachaçal”. Juro que quando rolar a primeira, conto para vocês. Mister Money e Grande Oráculo voltaram de viagem. Ficamos felizes. Sempre é bom ter o escritório cheio de gente. Coisa que só percebemos quando estão todos longes. Miss Artista ficou doente e passou a virada de cama com o namorado. Mister Mago fez uma baita festa e ficou bêbado por dois dias. Grande Oráculo passou na Argentina, ficando bêbado quase todos os dias. Mister Money foi para Recife e ficou tão preocupado que ligou quase todos os dias. Eu passei em casa dormindo (estava de ressaca). Miss Dentucinha está afastada. A coitada pegou dengue e mal consegue sair da cama.

Amanhã, faremos a festa em homenagem as “Desculpas Esfarrapadas”. Afinal, todo mundo já contou uma.

Abs,

Miss Janis.