18 de mar de 2010

ENTERRA E DEPOIS BEBE O DEFUNTO. TRADIÇÃO OU CACHAÇA DA BOA?

 

Amigos do Blog,bukowski-bebendo

Nunca achei que entraria num caixão. Não até estar morta e aí, eu não me lembrarei. Sempre fui uma cagona de marca maior e entrar naquela caixa e tirar uma foto de olhos fechados, me parecia um grande horror. No início até foi. Entrar lá enquanto produzíamos a festa de bebendo o Velho Bukowski, em comemoração ao aniversário de morte do nosso patrono Charles Bukowski, foi no mínimo horripilante. Mas no final, não foi. Entrei umas quatro vezes e vi que não é a caixa que torna tudo horripilante. Talvez a morte ou a perda é que sejam temerosas.

No final, prova de tudo isso, foi a quantidade de gente que entrou no caixão e fez cara de morto. Os clientes adoraram. Muitas fotos, recompensadas com doses de cachaça e clientes felizes. Além da fotógrafa maluca que animava os modelos, incentivando-os a posses absurdas e engraçadas. Foi ótimo! No final, mais uma noite feliz e várias fotos que podem ser vistas em nosso perfil: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=7869704246003895211 .

Abs,

Eu.

10 de mar de 2010

TUDO NA VIDA NÃO PASSA DE LABAREDAS. A DIFERENÇA ESTÁ EM QUEM AS ENFRENTA OU SAI CORRENDO DELAS.

020701sun

Quando tudo na vida desaba ou pega fogo, não há muitas opções. Podemos mergulhar no fogo e enfrentar todas as dúvidas e medos ou apenas olharmos a labareda e perceber a plenitude de seu poder. A Phoenix ateia fogo em si mesma quando descobre que está para morrer e renasce com a mesma magia das cinzas. Ainda mais forte e mais bonita. Uma covarde ou uma heroína?

Às vezes é preciso se tacar no fogo, para renascer ainda melhor. A queda não é característica de fraqueza. Todos caem, até os mais fortes. A coragem de levantar e renascer é o que torna fracos e corajosos diferentes. Sempre há coragem, quando se crê. Assim como Ícaro, filho de Dédalo, grande artesão ateniense. Para fugir de Creta com seu filho, Dédalo confeccionou dois pares de asas, usando penas e cera, e disse ao filho que não chegasse perto do mar, pois a umidade deixaria as asas pesadas e ele cairia - nem perto do Sol, pois o calor derreteria as asas. Mas Ícaro, encantado com a magnitude do Sol, voou tão rente que a cera derreteu e ele caiu no mar, onde morreu.

Nem sei se sou a pessoa mais apropriada para falar sobre isso, pois ainda estou em meio às labaredas. Mas aqui no Bukowski aprendi que ou você se joga no fogo e se diverte e participa, ou fica apenas como observador. Observando apenas, se perde a coisa mais maravilhosa de se estar vivo: a VIDA. 

Então, se você está por aí, perdido no fogo ou apenas observando as labaredas, tome sua decisão e atire-se. Vá até o sol. Busque a Lua. Siga as estrelas. O susto pode ser grande. O medo ainda maior. Mas, no final, vale a pena. Vale a pena viver.

Abs,

eu.

1 de mar de 2010

SE EXISTEM INÚMERAS "JANELAS INDISCRETAS" POR AÍ, EM QUAL DELAS ESTARÍAMOS NÓS?

1083_10331218

Leitores e leitoras por aí,

Mais uma sexta e sábado provamos que realmente não são necessários motivos para comemorar. Apenas o fato de reunirmos os amigos, acompanhados de uma boa dose de bebida etílica e longos momentos de papo, já é mais do que suficiente. Levamos da vida o que temos ou o que vivemos? Somos o que fazemos ou fazemos o que queremos? Questões e mais questões, cujas respostas caminham em uma única direção: VIVER.

Esse final de semana, conclamamos nossos clientes-amigos para o aniversário da bandeira do Daguestão. Aos daguestaneses espalhados por aí, um olá. Mas a verdade é que a festa não havia motivo algum. Era só uma brincadeira, a que nossos fiéis clientes aderiram mais uma vez. Casa cheia. Gente bonita e bacana. Sutiãs espalhados e perdidos. Clientes apaixonados. É isso aí, rapaziada! Mais dois dias inesquecíveis. Tudo isso: graças a vocês.

Nossas homenagens do dia são para nossos clientes, membros fiéis do clube de sexta e sábado. Então, se estiverem olhando de alguma janela indiscreta, perceberão que somos um bando de "malucos beleza". Felizes por mais um dia juntos.

Abs,

eu.